“Sergio Moro abandonou sua missão no meio da tragédia”, diz Fiuza sobre a pandemia

Reprodução: Google

O jornalista e escritor Guilherme Fuiza se manifestou sobre a repercussão do número de mortos por causa da pandemia do novo coronavírus no Brasil, lembrando das consequências geradas pela renúncia do então ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

Moro renunciou ao seu cargo no governo Bolsonaro em 24 de abril passado, gerando uma série de desgastes para o Planalto e administração pública em geral, por causa da alegação de supostas ilegalidades cometidas pelo presidente, às quais não foram comprovadas até o momento.

Com base nas declarações de Moro, um inquérito de investigação foi aberto no Supremo Tribunal Federal, a pedido da Procuradoria-Geral da República, e após isso o ministro Celso de Mello autorizou a divulgação do vídeo de uma reunião ministerial ocorrida no dia 22, também causando grande impacto no mundo político nacional.

A sequência desses acontecimentos se deu durante o curso da pandemia e resultou, também, na saída do então ministro Abraham Weintraub da pasta da Educação, sob forte pressão política e jurídica devido a uma declaração exposta na referida reunião.

Para Fiuza, a renúncia de Moro, portanto, teria trazido maior estresse ao país em uma situação crítica.

“Há muita controvérsia sobre responsabilidades nessa pandemia. Uma certeza absoluta é q Sergio Moro abandonou sua missão no meio da tragédia c/ uma denúncia q ninguém consegue comprovar e apoiou ações ditatoriais de governadores para fazer política contra o governo ao qual servia”, escreveu o jornalista.