Comunismo: China condena bilionário a 18 anos de prisão por “causar distúrbios”

[DW] – Um tribunal chinês prendeu nesta quarta-feira (28/07) um magnata da agricultura bilionário por 18 anos sob a acusação de “provocar problemas” após um julgamento de duas semanas envolto em sigilo.

Juízes em Gaobeidian, perto de Pequim, disseram que Sun Dawu foi considerado culpado por uma série de crimes a portas fechadas, aplicando-lhe uma multa de 3,11 milhões de yuans (US$ 480.000), além da pena de prisão.

Eles o acusaram de “reunir uma multidão para atacar órgãos do estado, obstruindo a administração do governo, provocando brigas e provocando problemas”.

A última acusação é um termo abrangente frequentemente usado pelas autoridades chinesas contra dissidentes.

A polícia também já havia prendido Sun em novembro passado junto com cerca de 20 parentes e parceiros de negócios. As prisões ocorreram no momento em que sua empresa se envolveu em uma disputa de terras com um rival estatal.

Sun transformou seu Dawu Agricultural and Pastoral Group em um negócio multimilionário nas últimas três décadas. Ele empregava mais de 9.000 pessoas antes dos seus bens serem confiscados pelo estado e os funcionários forçados a deixar o trabalho após sua detenção.

O empresário há muito tempo critica veementemente o governo chinês e suas políticas rurais, exigindo menos interferência do Estado na administração das fazendas. Ele também criticou Pequim por causa do tratamento de um surto de peste suína em 2019, acusando as autoridades locais de tentar encobrir a escala do surto.

A pena suspensa de três anos de prisão em 2002 por tirar fundos públicos ilegalmente foi revogada após um protesto de ativistas de direitos humanos. Os advogados de Sun compartilharam imagens de vídeo que o mostraram cercado por seguranças e policiais à paisana.

Sua equipe jurídica disse que os promotores disseram ao tribunal que suas atividades “colocaram em risco a estabilidade nacional”. Sun disse durante o julgamento que havia feito greve de fome em protesto contra seu tratamento enquanto estava detido.

A China tomou medidas para reprimir uma série de executivos de alto nível nos últimos anos por causa de suas críticas ao governo. Ren Zhiqiang, um incorporador imobiliário, também foi condenado a 18 anos de prisão depois de escrever um artigo criticando a forma como o presidente Xi Jinping lidou com a pandemia de coronavírus.

Deixe o seu comentário: