28.5 C
Brasília
Sexta-feira, 12 Agosto, 2022

Forças Armadas pretendem “exigir”, do TSE, respostas aos questionamentos sobre urnas

O clima de tensão entre as Forças Armadas e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) continua e pode se agravar ainda mais. Isso, porque, em uma reunião ministerial feita com o presidente Jair Bosonaro esta semana, o ministro da Defesa teria dito que as Forças Armas pretendem “exigir” respostas aos questionamentos dos militares sobre as urnas eletrônicas.

A iniciativa seria uma reação ao que os militares consideram falta de reciprocidade por parte do TSE em relação à contribuição que a equipe de guerra cibernética do Exército vem fazendo, após as Forças Armadas terem sido convidadas para integrar a Comissão de Transparência Eleitoral da Corte, no ano passado.

“Segundo o general, as Forças Armadas, diante dessa situação, pretendem elaborar um cronograma para ‘exigir’ do TSE as respostas aos seus questionamentos. Se preciso for, convocarão a comissão de transparência do tribunal para prestar os esclarecimentos que consideram necessários”, informou a Veja em matéria exclusiva.

Ainda segundo a revista, “caso as respostas solicitadas não sejam dadas a tempo e a contento, será feita por conta própria uma auditoria da votação”, neste caso, paralela a do TSE. O Tribunal tem dito que já existe auditoria sobre os votos, e que não há motivo para desconfiança das urnas eletrônicas.

O presidente Jair Bolsonaro, por outro lado, assim como os comandantes das Forças Armadas, vêm defendendo a necessidade de maior transparência. O comandante da Marinha, por exemplo, falou esta semana, na Câmara dos Deputados, que é preciso “mais auditoria” nas eleições. Veja tambem:

Após criticar urnas e o TSE, Ministro da Defesa diz que o artigo 142 “é nosso farol”

DESTAQUE
Veja também:
close