Maioria dos senadores da CPI da Pandemia REJEITA convocação de Carlos Gabas

Apontado por aliados do governo como figura-chave na apuração de supostos desvios de verbas na compra de 300 respiradores, ao custo de R$ 48 MILHÕES, o secretário-executivo do Consórcio Nordeste, o ex-ministro petista Carlos Gabas, teve a sua convocação para depor da CPI da Pandemia rejeitada pela maioria dos senadores nesta quarta-feira, 16.

O Consórcio Nordeste fez a compra de 300 respiradores ao custo de R$ 48 milhões, os quais nunca foram entregues aos estados, motivo pelo qual aliados do Planalto apontam Gabas e os governadores dos estados nordestinos como possíveis envolvidos em desvio de recursos.

Votaram pela rejeição da convocação de Gabas, por exemplo, os senadores Renan Calheiros, Humberto Costa, Rogério Carvalho, Otto Alencar e Randolfe Rodrigues. Através das redes sociais, o senador Marcos Rogério lamentou o resultado da votação e apontou “blindagem” dos oposicionistas.

“Lamentável a posição da CPI de vetar a convocação de Carlos Gabas, do Consórcio Nordeste. Há indícios claros de fraudes e suspeitas diversas de irregularidades. Não entendo o medo da oposição de investigar! Por que a blindagem? Qual o medo?”, questionou o senador. Veja também:

Consórcio pagou “48 milhões por respiradores que NUNCA chegaram”, diz senador da CPI