12.5 C
Brasília
Domingo, 26 Junho, 2022

Idosa tomou cloroquina por 20 anos e não teve efeitos colaterais, diz mestre em Saúde

O uso da cloroquina para o tratamento do novo coronavírus tem sido debatido intensamente nos últimos dias no Brasil, após o governo anunciar a implementação de um novo protocolo de saúde para à ampliação do medicamento na rede pública de saúde.

Enquanto isso, relatos de pessoas que já fizeram uso da cloroquina parecem dissipar grande parte das críticas a respeito do fármaco, em particular quanto aos riscos dos seus efeitos colaterais.

Um exemplo disso foi compartilhado pelo escritor e professor Claudemiro Ferreira Soares, que é Mestre em Saúde Pública pela FIOCRUZ e autor do livro “Homossexualidade Masculina. Escolha ou Destino?“.

Ele escreveu em sua rede social: “Minha mãe faleceu em 2011, aos 72 anos. Ela tomou Cloroquina nos últimos 20 anos de sua vida e JAMAIS apresentou nenhum dos ‘efeitos colaterais’ que podem ocorrer devido ao uso dessa medicação!”.

Na sequência o autor fez uma comparação com o momento atual, visto que uma das grandes resistências em relação ao uso do medicamento consiste exatamente na suspeita de que ele provocaria reações adversas.

“Hoje, ela morreria de COVID-19 sem poder utilizar a Cloroquina devido ao risco dos efeitos colaterais???”, questionou Claudemiro.

“A solidão mata”

Em uma série de vídeos publicados em sua rede social, Claudemiro Ferreira também alertou sobre os efeitos da solidão em decorrência do isolamento social, explicando que pessoas já fragilizadas podem desenvolver doenças psicossomáticas em função disso.

O autor citou dados estatísticos que chamam atenção para os efeitos danosos do isolamento social. Assista o primeiro vídeo da série abaixo:

Isolamento social mata!!!

Posted by Claudemiro Ferreira on Wednesday, May 13, 2020

 

DESTAQUE
- Publicidade -
Veja também: