28.5 C
Brasília
Sexta-feira, 12 Agosto, 2022

Bolsonaro volta a falar do 7 de setembro, agora este ano: “Deve ser muito grande”

Na esteira de mais um ano tenso em relação aos ministro do Judiciário, o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (PL), voltou a falar sobre o 7 de setembro, mas se referindo ao que deverá ocorrer este ano, quando o Brasil vai comemorar o seu bicentenário da Independência.

Em conversa com apoiadores, o chefe do Executivo previu que este ano a comemoração deverá ser “muito grande”, repetindo ou mesmo superando a do ano passado, quando só em Brasília cerca de 400 mil pessoas ocuparam a Esplanada dos Ministérios.

“O 7 de Setembro deve ser muito grande no Brasil, a minha ideia é ficar em Brasília, ver o desfile militar”, disse Bolsonaro. “Vamos fazer o maior possível, porque casa com os 200 anos da nossa Independência. Logicamente, é muito bonito isso.”

Apoiadores do presidente também já começaram a entrar em clima de organização por meio das redes sociais. No ano passado, os atos despertaram a atenção das autoridades e da oposição, sendo acusados por alguns de “antidemocráticos”.

No 7 de setembro de 2021, contudo, não houveram registros de protestos violentos. Alguns apoiadores do governo, entretanto, chegaram a pedir reações militares e a prisão de alguns ministros do Supremo, muito embora em um quantitativo muito pequeno se comparado à maioria.

Antes mesmo das comemorações, mandados de busca e apreensão foram expedidos por parte do Supremo Tribunal Federal (STF), com apoiadores sendo detidos, acusados de incitar uma invasão à Corte e ataque às instituições.

Em um dos seus discursos, Bolsoanaro chegou a chamar o ministro Alexandre de Moraes de “canalha”, mas em 9 de setembro divulgou uma carga conjunta com o ex-presidente Michel Temer, pedindo união ao país e harmonia entre os poderes.

DESTAQUE
Veja também:
close