12.5 C
Brasília
Domingo, 26 Junho, 2022

Pandemia: adolescente que vende salgados posta foto da geladeira vazia e pede ajuda

Um adolescente de 14 anos divulgou recentemente nas redes sociais um apelo de socorro. Rafael Henrique é um estudante que concilia o trabalho com os estudos, mora com seus avós, que não são aposentados.

Devido à pandemia do Covid-19 a família de Rafael teria ficado vulnerável, tendo em mente que para ajudar os avós o jovem costuma vender salgados na rua. Tal gesto se torna impossível no momento atual devido às restrições impostas pelo governo para conter a pandemia.

Segundo o G1, Rafael e seus avós residem em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. O adolescente explicou que o movimento teria caído drasticamente, o que teria impossibilitado que as vendas mantenham Rafael e sua família numa condição estável durante o lockdown, o que levou o jovem a fazer o apelo na internet.

“Tive que pedir ajuda, não tinha mais saída. Gosto muito de trabalhar. Minha avó não gosta muito que eu trabalhe, mas eu vou assim mesmo. Sempre ajudei em casa e nunca passamos por uma crise como essa”, declarou Rafael em uma entrevista ao G1.

Os avós do menino afirmam que se comoveram com a atitude do neto, alegando que ele sempre foi um jovem prestativo dentro de casa e que ele teria começado o negócio de salgados por conta própria, assim como o pedido de ajuda na internet.

Rafael Henrique sonha em abrir uma lanchonete — Foto: Rafael Henrique/Arquivo pessoal
Rafael Henrique sonha em abrir uma lanchonete — Foto: Rafael Henrique/Arquivo pessoal/G1

“Não sabíamos que ele tinha feito isso. Fiquei muito comovida quando as doações começaram a chegar. Ele sempre foi assim, se vê faltando algo, toma atitude”, disse à avó, Neurang Freitas.

Ainda na entrevista com o G1, os avós de Rafael disseram que os suprimentos não foram a única coisa prejudicada com a situação atual, pois vivem de aluguel e não tiveram como pagar as últimas duas mensalidades. Segundo os mesmos, as despesas mensais com aluguel, luz e água estão na faixa de mil reais.

Ambos os idosos possuem problemas de saúde, como hipertensão, diabetes e depressão, o que os coloca no grupo de risco. Também confirmaram que a única renda atual da família vem de Rafael, o que totaliza cerca de R$ 70 por dia.

“Antes eu fazia e ele vendia, mas depois não estava compensando, então ele deu um jeito de pegar pronto para revender. Essa pandemia atrapalhou tudo. Tinha uma filha que nos ajudava, mas ficou desempregada. Como não somos aposentados e não podemos trabalhar, a carga é muito grande em cima dele”, relatou.

A publicação de Rafael alcançou mais de 3 mil compartilhamentos, o que levou a família a receber diversas doações de alimentos assim como uma reforma na bicicleta que o adolescente usa para trabalhar vendendo os salgados. A bicicleta é usada e necessitava de vários reparos.

“Graças a Deus as coisas estão indo. Por causa da crise e só eu cuidando de casa, ficou pesado as contas, mas é muito gratificante ver as pessoas ajudando. Ficamos muito felizes e agora temos bastante comida”, declarou Rafael.

DESTAQUE
- Publicidade -
Veja também: