11.5 C
Brasília
Sábado, 25 Junho, 2022

Aras quer apurar possíveis “interesses privados do presidente da República” na PF

O procurador-geral da República, Augusto Aras, parece não estar totalmente satisfeito com o depoimento do ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, e por isso achou por bem solicitar esclarecimentos também dos ministros citados pelo ex-juiz da Lava Jato.

A intenção de Aras é apurar se houve ou não “eventual patrocínio, direto ou indireto, de interesses privados do presidente da República perante a Polícia Federal, visando ao provimento de cargos em comissão e a exoneração de seus ocupantes”.

Moro citou em seu depoimento no último sábado (02) o chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, e os ministros da Casa Civil, Walter Braga Netto, e da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos.

Segundo o ex-ministro, eles foram testemunhas de uma suposta pressão feita pelo presidente Bolsonaro sobre Moro, ao ameaça-lo demitir caso não retirasse do cargo o ex-diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo. A reunião ocorrida em 23 de abril teria sido gravada.

Também poderão ser ouvidos a deputada federal Carla Zambelli (PSL/SP) e os delegados da PF Maurício Valeixo, Ricardo Saadi, Carlos Henrique de Oliveira Sousa, Alexandre Saraiva, Rodrigo Teixeira e Alexandre Ramagem Rodrigues, segundo o CB.

DESTAQUE
- Publicidade -
Veja também: