15.5 C
Brasília
Terça-feira, 28 Junho, 2022

Prefeito entra na Justiça contra o governo Doria: “Minha cidade está destruída”

Na última terça-feira (16), o prefeito de Aparecida, Luiz Carlos de Siqueira, teve uma participação no “Opinião no Ar”, onde num diálogo com os jornalistas da RedeTV! alegou ter entrado na justiça contra a fase vermelha imposta pelo governo de São Paulo como medida contra a Covid-19.

Ao entrar na justiça, o prefeito tinha a intenção de impedir a entrada da cidade de na fase mais restritiva da quarentena, pois como ele alega em sua entrevista, a cidade estaria sofrendo uma tragédia socioeconômica.

O prefeito também afirma que durante o período de pandemia a cidade teria perdido 12 milhões de peregrinos, o que teria trazido a já citada “tragédia socioeconômica”.

“Aparecida hoje é uma cidade que tem mais de 70% de desempregados, o comércio está quebrado e continua quebrando, o decreto do governador está levando nossa cidade para o resto.”, afirmou o prefeito ao tentar definir a situação atual da cidade e de sua população.

O prefeito também explicou que foi para o lado jurídico para tentar equilibrar o “antagonismo que é a pandemia de um lado e o socioeconômico do outro”, e seguiu dizendo que a situação quanto a Covid-19 estava equilibrada e que ainda está, alegando que Aparecida possui 20 leitos de respiradores e que nenhum deles vem sendo utilizado porque não há necessidade de pacientes.

Luiz Carlos de Siqueira também desabafa que tem sido difícil governar uma cidade que está “subjugada, de joelhos, que está suplicando uma ajuda do governo do estado e do governo federal”. Ajuda essa que segundo o prefeito seria para matar a fome da população.

Em meio ao discurso, o prefeito anuncia que a cidade não possui recursos próprios, elevando a necessidade por cestas básicas para suprir a população que está sendo privada de trabalhar por conta das medidas preventivas.

“Infelizmente podemos estar vivendo o pior momento de uma cidade, os peregrinos vem aqui para suplicar aos pés da padroeira uma vida mais digna, ou para pedir ou para agradecer, e infelizmente hoje não temos mais os peregrinos aqui”, desabafou o prefeito.

Ao ser questionado com relação a estrutura de Aparecida para os pacientes com a Covid-19, Luiz reforçou que a cidade conta com a estrutura necessária para o atendimento e disse que é muito importante que todos pensem na situação e tentem se proteger. Porém, ele também afirmou que ninguém pode esquecer-se da dignidade socioeconômica de sua cidade.

“Eu acredito que a autonomia dos municípios foi embora. Nós, os municípios brasileiros aqui em São Paulo não temos mais autonomia, hoje tudo é ditado pelo governo de São Paulo. Nós temos a nossa realidade e o governo não tem seus olhos voltados para a tragédia econômica e socioeconômica que o município vive, essa é a dura realidade”, declarou o prefeito numa nota final.

DESTAQUE
- Publicidade -
Veja também: