10.5 C
Brasília
Quarta-feira, 29 Junho, 2022

Porchat diz que Bolsonaro é um “câncer que não estará mais entre nós” em 2023

O humorista Fábio Porchat, que recentemente foi alvo de críticas junto ao apresentador Danilo Gentilli por causa de um filme acusado de fazer apologia à pedofilia, comentou na madrugada deste sábado (23), na Marquês de Sapucaí, sobre a comemoração do carnaval fora de época, bem como a expectativa quanto a disputa eleitoral este ano.

Na ocasião, ao ser questionado sobre o indulto de Bolsonaro oferecido ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), Porchat se referiu ao presidente da República como um “câncer” a ser eliminado pela população.

“A gente tem que pensar que em 2023 este câncer não estará mais entre nós, e o Brasil vai voltar a sorrir”, disse ele. “A gente precisa tirar a milícia do poder. Eu acho que, no fim das contas, esta é a eleição do ‘queremos democracia ou não?’ E a gente precisa querer.”

Pelas redes sociais, apoiadores do presidente criticaram a fala do humorista, chamando-a de um exemplo do “ódio do bem” e do “ataque antidemocrático do bem”, ironizando o fato de que declarações agressivas e ofensivas dessa natureza, quando proferidas por bolsonaristas, são encaradas com rigor pela justiça e pela imprensa.

Sobre a volta dos desfiles de carnaval, que em 2021 não foram realizados devido à pandemia, Porchat celebrou a vacina contra o novo coronavírus. Ele também se disse emocionado pela homenagem feita ao humorista falecido pela doença, Paulo Gustavo.

“É uma mistura de ‘que bom que a normalidade está voltando’ com o pensamento sobre toda a doideira que a gente passou e ainda está passando. No fim das contas, graças à vacina, a gente pode estar aqui”, disse Porchat, segundo o Yahoo.

DESTAQUE
- Publicidade -
Veja também: