28.5 C
Brasília
Sexta-feira, 12 Agosto, 2022

Para desembargador, o “STF trocou a defesa da Constituição pelo ataque à liberdade”

Ivan Ricardo Garisio Sartori, ex-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo e desembargador federal aposentado, publicou um conteúdo onde critica duramente a atuação dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), acusando-os de ter abandonado a “defesa da Constituição”.

Segundo Sartori, “é lamentável ver que nossa Suprema Corte trocou a defesa da Constituição pelo ataque à liberdade. Esse tem sido o principal motivo pelo qual o Tribunal perdeu a legitimidade perante a sociedade.”

O desembargador aposentado atualmente é pré-candidato a deputado federal por São Paulo, e tem subido o tom contra o que classifica como “viés político-partidário” por parte dos ministros do STF.

Na quinta-feira (21), por exemplo, Sartori participou de uma entrevista com o jurista Dr. Ives Gandra Martins, pela revista Oeste, para tratar sobre o “Ativismo Político no Judiciário”, tendo ponto principal das críticas a atuação do STF durante o governo Bolsonaro.

Assim como Sartori, Gandra também se alinhou aos aliados do governo no tocante às críticas ao ativismo judicial. Recentemente, por exemplo, em uma entrevista para o jornalista William Waack, da GloboNews, o jurista – considerado um dos mais respeitados do mundo – afirmou que o STF teria se transformado numa espécie de “partido de oposição”.

Participando de numa audiência pública realizada no Senado Federal em 5 de julho, Ivan Sartori também já havia criticado a atuação do Supremo, dizendo que garantias individuais estariam sendo suprimidas por interpretações feitas à revelia da Constituição Federal.

“A lei pode admitir, sim, diversas interpretações, mas desde que esteja, cada interpretação dessa, de acordo com a lei. Houve avanço nessa flexibilização e o ativismo comedido ganhou força”, disse ele na ocasião, segundo a Agência Senado.

“Entretanto, o que estamos vendo agora no país, com todo o respeito que nos mereçam os ministros do Supremo, estamos vendo que o Judiciário se transformou no único poder da República que realmente tem voz e que realmente comanda o nosso povo brasileiro”, destacou.

DESTAQUE
Veja também:
close