20.5 C
Brasília
Sábado, 21 Maio, 2022

Comandante da Marinha defende Bolsonaro: “É o meu chefe, o meu comandante”

O comandante da Marinha, Almir Garnier Santos, concedeu uma entrevista onde manifestou apoio às falas do presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (PL), sobre a auditoria privada das urnas eletrônicas nas eleições desse ano.

Em entrevista ao jornal “O Povo”, em Fortaleza (CE), o militar que lidera uma das três Forças Armadas do país, disse querer ter a certeza de que os brasileiros poderão escolher os seus representantes políticos de forma “limpa”.

“Como comandante da Marinha, eu quero que os brasileiros tenham certeza de que o voto deles vai valer, de que quem eles colocarem na urna vai ser contado e quem eles escolherem de uma forma limpa, transparente, como demanda a Constituição Federal e as leis nacionais, será validado”, disse o Comandante.

Para Almir Garnier Santos, quanto mais mecanismos de auditoria, maior será a transparência das eleições, o que trará “mais calma” à população, uma vez que, segundo ele, isso evitaria o “povo brigando” por eventuais dúvidas.

“Não quero ver o meu povo brigando entre si por dúvidas. Então mais transparência, quanto mais auditoria, melhor para o Brasil, porque nós teremos muito mais certeza do resultado e toda a vida nacional seguirá com mais calma”, declarou o militar.

Finalmente, sobre às falas de Bolsonaro, Almir Garnier Santos defendeu o direito do presidente da República de expressar suas opiniões, destacando que ele é o seu “comandante” e “chefe”.

“O presidente tem feito críticas, mas não é só o presidente que faz crítica, muita gente faz críticas às urnas há muito tempo. O presidente da República é o meu chefe, é o meu comandante, ele tem o direito de dizer o que quiser”, afirmou o Comandante da Marinha, segundo o Valor.

- Publicidade -
Última notícia
- Publicidade -
Veja também:
close