15.5 C
Brasília
Sábado, 2 Julho, 2022

Clubes militares das três Forças Armadas criticam “partidarismo político” do STF

Uma carta conjunta elaborada pelos clubes militares das três Forças Armadas, entidades comandadas por oficiais da reserva, parece ter antecipado uma reação do Ministério da Defesa, que no domingo publicou uma nota oficial contra declarações do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Roberto Barroso.

Isso, porque, o documento faz críticas ao que chama de “partidarismo político” do STF, tendo sido curiosamente publicado no sábado do dia 23, um dia antes da fala do ministro Barroso sobre a suposta orientação dada às Forças Armadas para atacar o sistema eleitoral do país, o que foi duramente repudiado pela Defesa no mesmo dia.

Na carta, cujo título é “Aonde quer chegar o STF?”, os clubes militares declaram apoio ao presidente Jair Bolsonaro para “sustentar a democracia e a liberdade de expressão”, bem como a defesa do indulto ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), segundo informações do Jornal de Brasília.

Sobre o STF, a carta diz que “arrogando-se o direito de, sem cerimônias, interferir nas atribuições dos demais Poderes que constituem o Estado Brasileiro, decidiu recentemente aquele Tribunal punir, de modo injusto e desproporcional, um parlamentar que, de forma insultuosa, emitiu opinião sobre a corte e alguns de seus integrantes”.

Assinam o texto o presidente do Clube Naval, almirante de Esquadra Luiz Fernando Palmer Fonseca, o presidente do Clube Militar, general Eduardo José Barbosa, e o presidente do Clube de Aeronáutica, major brigadeiro do ar Marco Antonio Carbalo Perez.

“Contrariamente ao que se espera de uma corte constitucional, o STF vem há tempos propagando notórias e repetidas demonstrações de partidarismo político em suas interpretações da Constituição Federal e, até mesmo de modo surpreendente, manifestando publicamente preferências partidárias”, diz a carta.

“Nós, integrantes dos Clubes Naval, Militar e de Aeronáutica manifestamos incondicional apoio ao Presidente da República em seu esforço para sustentar a democracia e a liberdade de expressão no país”, ressalta o documento.

DESTAQUE
- Publicidade -
Veja também: