28.5 C
Brasília
Sexta-feira, 12 Agosto, 2022

Barbosa provoca Ministro da Defesa: “As Forças Armadas devem permanecer quietinhas”

Em declaração provocativa direcionada especificamente para o ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, reagiu a um comentário feito pelo militar durante audiência na Câmara dos Deputados, onde citou o Artigo 142 da Constituição Federal.

Além de afirmar que o polêmico artigo constitucional é como um “farol” para os brasileiros, Paulo Sérgio rebateu as críticas de uma deputada da esquerda que se recusou a debater com os militares sobre a segurança das eleições.

“As Forças Armadas estavam quietinhas em seu canto e foram convidadas pelo TSE a participarem dessa Comissão de Transparência Eleitoral (…). Meu envolvimento foi único e exclusivamente por ter sido convidado pelo TSE para fazer parte desse processo”, afirmou o general.

Barbosa, por sua vez, reagiu comentando a declaração do militar: “Ora, general, as Forças Armadas devem permanecer quietinhas em seu canto, pois não há espaço para elas na direção do processo eleitoral brasileiro. Ponto”.

O ex-ministro do STF, segundo a CNN, também deu a entender que as Forças Armadas estariam tentando pressionar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a fim de agradar o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro.

Ele disse que não é certo haver uma “pressão desabrida e cínica sobre a Justiça Eleitoral, em clara atitude de vassalagem em relação a Bolsonaro, que é candidato à reeleição, é sinalizar ao mundo que o Brasil caminha paulatinamente rumo a um golpe de Estado”, declarou o ex-ministro, que completou: “Pense nisso, general”.

Pelas redes sociais, aliados do presidente criticaram o comentário do ministro. O pastor Silas Malafaia, por exemplo, disse que ele deveria ficar “calado”. “Fica quietinho porque você é um ARREGÃO”, disparou o líder religioso ao se referir à decisão de aposentadoria antecipada do ex-ministro, em 2014.

“As forças armadas podem agir dentro dos limites da constituição. Será que a síndrome de rasgar a constituição pegou em você também? Porque [sic] não te calas? CALADO!”, completou Malafaia.

No ano em que resolveu sair do STF, Barbosa disse que sofria de sacroileíte, uma inflamação nas articulações da região lombar que provoca forte dores, o que lhe impedia de permanecer sentado por horas seguidas, motivo pelo qual era comum vê-lo no STF, durante as sessões, em pé.

O ex-ministro foi indicado para o STF pelo ex-presidente Lula em 2003, e ficou conhecido no país por um julgamento emblemático na Ação Penal 470, o “Mensalão”, onde 25 dos 37 réus foram condenados, entre os quais o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e o ex-presidente do PT José Genoino, segundo a BBC. Veja também:

Após criticar urnas e o TSE, Ministro da Defesa diz que o artigo 142 “é nosso farol”

DESTAQUE
Veja também:
close