13.5 C
Brasília
Quarta-feira, 29 Junho, 2022

Governador de Brasília defende a realização da Copa América no Brasil: “Nada contra”

O governador de Brasília, Ibaneis Rocha, defendeu a realização da Copa América em solo brasileiro. A manifestação do político ocorreu após a Conmebol anunciar essa possibilidade em comum acordo com autoridades brasileiras, como o ministro da Saúde e o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Ibaneis, contudo, destacou que o seu apoio está condicionado à adoção de medidas de segurança, dado o contexto de pandemia do coronavírus no Brasil. “Não tenho nada contra a Copa América, desde que mantidas as medidas sanitárias”, afirmou o governador do DF ao Jornal de Brasília.

A Copa América estava prevista para ocorrer inicialmente na Colômbia, mas o governo do país alegou dificuldades políticas e sanitárias em decorrência da pandemia. A mesma coisa ocorreu com a Argentina, que apesar de ter adotado o lockdown mais longo do planeta, vem registrando um aumento dos casos de Covid-19.

Agora, a previsão é que a Copa ocorra no Brasil entre 13 de junho e 10 de julho. O país vem registrando uma queda na média de mortes em decorrência do coronavírus, mas políticos de oposição e alguns analistas de saúde avaliam que é um risco a realização do evento em terras tupiniquins, alegando que ele pode desencadear uma 3° onda de contaminação.

Por parte do governo, o ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, explicou que o Brasil já vem realizando eventos de futebol de grandes proporções, como o Campeonato Brasileiro e os estaduais, adotando medidas de proteção, como a ausência de torcida nos estádios. Ele disse que a Copa América é um evento menor e por isso não seria diferente em termos de segurança.

“Ainda não tem nada certo, quero pontuar de uma forma bem clara, estamos no meio do processo [de confirmação do evento no Brasil], mas não vamos nos furtar a uma demanda, caso seja possível, de atender”, afirmou o ministro em declaração à imprensa no Palácio do Planalto.

Secretário do PT é preso pela Lei de Segurança Nacional por faixa “Bolsonaro genocida”

DESTAQUE
- Publicidade -
Veja também: