Atriz faz crítica dizendo que torce pelo “coronavírus, a exemplo da peste negra”

A pandemia do novo coronavírus parece estar afetando a capacidade de discernimento de algumas pessoas, como da atriz Fernanda Torres, que no último dia 22 escreveu um artigo para o jornal Folha de São Paulo dizendo que “torce” para que o Covid-19 impacte o mundo “a exemplo da peste negra”.

“Torço para que o centro ressurja dessa emergência. E que o coronavírus, a exemplo da peste negra na Europa do século 14, venha abreviar o obscurantismo medieval travestido de liberal em que nos metemos”, afirmou Fernanda. No subtítulo da sua matéria a associação foi mais direta:

“Torço para que o coronavírus, a exemplo da peste negra, abrevie o obscurantismo medieval em que nos metemos”, diz a legenda. Antes de comentar a intenção de Fernanda Torres em seu texto, vale a pena destacar que a peste negra foi uma das piores pandemias na história da humanidade, sendo responsável pela morte de milhões de pessoas em todo o mundo.

“Em 1351, a peste já tinha varrido toda a Europa e estima-se que tenha matado, em apenas quatro anos, cerca de 25 milhões de pessoas – o equivalente a quase um terço da população européia na época”, disse a historiadora Vera Machline, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), segundo a Super Interessante. 

Tendo dito isso, voltemos ao texto de Fernanda Torres. Se referindo ao século 14, época da peste negra, ela disse:

Clamando pela proteção do Senhor, os tementes se juntavam às romarias ainda sãos, caíam doentes no decorrer do trajeto e terminavam o périplo em covas rasas. Foi necessário o alarmante milagre da multiplicação de óbitos para que a Igreja suspendesse missas, procissões e aglomerações de fiéis”.

Em outras palavras, a intenção de Fernanda no texto foi demonstrar que foi necessário ocorrer uma catástrofe humanitária em decorrência da peste negra para que muitos percebessem a gravidade da doença. O que ela parece não ter se dado conta, no entanto, é que ao dizer que “torce” pelo coronavírus, a atriz da Globo consequentemente desejou a morte de milhões de pessoas.

Na intenção de condenar a “ignorância”, a “irracionalidade” e a “brutalidade” nos dias atuais, Fernanda fez uma associação igualmente ignorante, irracional e bruta, visto que não mediu as consequências do que seria a força do coronavírus agindo no mundo “a exemplo da peste negra”. Será mesmo que seria necessário milhões de inocentes pagarem o preço em nome de alguns?

Por fim, ainda que a intenção da atriz tenha sido chamar atenção para alguns que desprezam a possível gravidade do coronavírus, em nome da sua visão Fernanda ignorou o que a história pode nos ensinar, sem que seja preciso passar pelas mesmas aflições. Mas, principalmente, ela ignorou o sofrimento dos milhões de inocentes que morreriam se o Covid-19 atendesse as suas expectativas.