15.5 C
Brasília
Terça-feira, 28 Junho, 2022

Jornalista da Veja associa gesto de oração cristã a símbolo nazista

O jornalista Ricardo Noblat se valeu de uma associação polêmica para expressar, indiretamente, sua desaprovação ao apoio prestado por grande parte do segmento evangélico ao presidente da República.

Com duas fotos, ele associou o gesto de oração com mãos estendidas feito por fiéis em favor do presidente Jair Bolsonaro à saudação nazista que era feita a Adolf Hitler.

“Não passa de mera coincidência!”, escreveu o jornalista da revista Veja. Portais de ideologia esquerdista repercutiram a publicação de Noblat e oportunamente resgataram o episódio do ex-secretário Especial de Cultura, Roberto Alvim, que foi demitido após um discurso que copiava trechos de uma fala de um importante membro do nazismo.

A psicóloga Marisa Lobo, conhecida por lutar para ter o direito de se identificar como cristã, reagiu à publicação: “Ignorante, jornalismo medíocre, tudo tem limite. Nós cristãos desde o tempo de Jesus erguemos as mãos para orar e abençoar pessoas”.

“Você está no fim do poço mesmo. O isolamento está te enlouquecendo? Maluco. Essa associação é criminosa e doentia. Promovendo ódio contra nós, cristãos?”, acrescentou Marisa Lobo.

O perfil do portal Opinião Crítica no Twitter também reprovou o tuíte: “O tal ‘jornalista’ medíocre associa um ato de oração ao gesto nazista, não por desconhecimento, mas por uma malícia porca que em termos porcos só reflete a própria imagem, literalmente”.

DESTAQUE
- Publicidade -
Veja também: