Fux diz que o STF é um “exemplo de democracia” para o Brasil e web reage

O ministro Luiz Fux, que atualmente preside o Supremo Tribunal Federal (STF), fez uma espécie de balanço sobre a sua gestão a frente da corte, onde destacou alguns pontos dos trabalhos desempenhados pelos ministros, entre eles o de proteger à luz da Constituição Federal a democracia brasileira. Entretanto, sua visão acabou gerando críticas nas redes sociais.

“Nosso relacionamento institucional frutífero tem sido a razão pela qual este Supremo Tribunal Federal se apresenta como exemplo vivo de que a democracia deriva do dissenso institucionalizado, e não da discórdia visceral ou do caos generalizado”, disse o ministro.

O ministro argumentou que o STF continuará vigilante no tocante à preservação da institucionalidade no Brasil, reforçando que a democracia é algo “inegociável”. A fala do magistrado endossa a visão dos seus colegas, por exemplo, ao dar a entender que o regime brasileiro estaria atualmente sob algum tipo de ameaça.

“Neste próximo ano de gestão, continuaremos a nossa caminhada com independência, diligência e comprometimento, no labor pela melhoria dos serviços prestados ao país sem prejuízo de velarmos, dia após dia, pelas instituições que nos fazem republicanos e pela nossa inegociável democracia brasileira”, afirmou o ministro.

Pelas redes sociais, no entanto, internautas reagiram às declarações do ministro. Um usuário lembro de uma pesquisa feita pela rede Jovem Pan, perguntando se o público realmente acha que o STF assegura a democracia no país. Segundo o resultado, 99% dos votantes disseram que “não”.

“Ministro Fux, aí está a resposta do povo”, postou o internauta. Outro comentou que “o discurso do ministro Fux de hoje, completamente dissociado da realidade, é vergonhoso. O presidente do STF mostra que não quer entender o que está acontecendo no país.”

Apoiadores do governo acreditam que o STF (os ministros) vem tomando decisões que caracterizam interferências em outros poderes, o que estaria desestabilizando o equilíbrio institucional no país, o que explica as reações às declarações do ministro Fux.

Os magistrados, contudo, não têm demostrado concordar com essa visão, a exemplo das declarações do próprio presidente da corte proferidas na quarta-feira (22).