20.5 C
Brasília
Sábado, 21 Maio, 2022

Presidente do TSE, Fachin alfineta: “Quem trata de eleições são forças desarmadas”

Após receber inúmeros questionamentos de militares sobre o processo de realização das eleições, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin, resolveu alfinetar o presidente da República e os militares. “Quem trata de eleições são as forças desarmadas”, disse ele, nesta quinta-feira, 12.

Esta foi a primeira manifestação de Fachin a respeito do assunto desde que ele encaminhou um ofício ao Ministério da Defesa com respostas às propostas do general de Divisão do Exército, Heber Garcia Portella, responsável pela unidade de Guerra Cibernética, para a disputa de outubro, classificadas por técnicos do tribunal como “opinião”.

“A contribuição que se pode fazer é (…) de acompanhamento do processo eleitoral. Quem trata de eleições são forças desarmadas e, portanto, as eleições dizem respeito à população civil, que, de maneira livre e consciente, escolhe os seus representantes. Diálogo sim, colaboração sim, mas na Justiça Eleitoral a palavra final é a Justiça Eleitoral”, alfinetou Fachin.

Embora sem citar o presidente Jair Bolsonaro, que tem feito reiteradas críticas aos ministros do TSE, lançando suspeitas sobre as urnas eletrônicas, Fachin disse quem incita a intervenção militar prova que não confia na democracia.

“Quem investe contra o processo eleitoral, que está descrito na Constituição, investe contra a Constituição e contra a democracia. Esse é um fato e os fatos falam por si só. Quem incita intervenção militar está praticando um ato que afronta à Constituição e a democracia”, afirmou o presidente do TSE.

“Não se trata de um recado, mas de uma constatação obviamente fática”, completou ele, em alusão às críticas do presidente da República do Brasil. Com informações: Istoé Dinheiro.

- Publicidade -
Última notícia
- Publicidade -
Veja também:
close