Mais

    Mourão: ‘Movimentação de tropas na fronteira com a Venezuela tem sido preocupação’

    O senador e general da reserva do Exército Brasileiro, Hamilton Mourão, expressou preocupação com a escalada de tensões entre a Venezuela e a Guiana, países que fazem fronteira com o Norte do Brasil.

    Desde 2015 o ditador Nicolás Maduro, da Venezuela, vem retomando o discurso venezuelano de posse do território conhecido como Essequibo, uma área maior do que a de países como Inglaterra, Cuba ou Grécia, e rica em minérios e, principalmente, petróleo.

    “Hoje, na Comissão de Relações Exteriores do Senado, falei sobre o referendo na Venezuela, que decidirá, neste domingo, sobre a anexação do território de Essequibo, administrada pela Guiana, um tema que exige atenção dos países da América do Sul, sobretudo do Brasil, pelo risco potencial de conflito, com impactos diretos sobre a pressão migratória”, comentou Mourão.

    “O território, rico em petróleo, é uma disputa histórica entre os dois países e a movimentação de tropas na fronteira tem sido uma preocupação”, completou o senador, em referencia aos exércitos da da Venezuela e da Guiana.

    Mapa mostra região do Essequibo destacada, entre Guiana, Equador e Brasil

    Como grande parte de Essequibo faz fronteira com o Brasil, estando praticamente “no meio” das duas nações em disputa, a escalada recente da tensão tem preocupado o governo brasileiro, com alguns analistas chegando a dizer que o Brasil poderá acabar sendo envolvido involuntariamente em um eventual conflito militar, a fim de garantir a não violação das suas fronteiras.

    Maduro anunciou um referendo para o próximo dia 3, quando o país consultará os venezuelanos sobre o desejo de anexar ou não Essequibo. Como essa é uma questão histórica que conta com o apoio da ampla maioria da população, a expectativa é de que o resultado será favorável.

    Leia também:

    Posts da semana

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui