Mourão diz que manifestações da Antifa são “criminosas” e “incensadas pela imprensa”

Mourão diz que manifestações da Antifa são
Reprodução: Google

O general Hamilton Mourão, vice-presidente da República do Brasil, criticou duramente os atos de vandalismo que ocorreram em algumas cidades do país nos últimos dias, promovidos por um movimento de esquerda denominado internacionalmente como “Antifa”.

“Não é admissível que, a título de se contrapor a exageros retóricos impensadamente lançados contra as instituições do Congresso e Supremo Tribunal Federal, assistamos ações criminosas serem apoiadas por lideranças políticas e incensadas pela imprensa”, afirmou o general.

Mourão fez a sua manifestação em um artigo publicação no Estadão, e começou questionando a forma como a mídia tem retratado os atos de violência, a saber, como manifestações “democráticas”, algo que não corresponde à realidade, uma vez que a prática de crimes é explicitamente constatada.

“É lícito usar crimes para defender a Democracia? Qual ameaça às instituições no Brasil autoriza a ruptura da ordem legal e social? Por acaso, supõe-se que assim será feita algum tipo de justiça?”, questionou o vice-presidente.

Por fim, o general explicou que atos em prol da democracia não são compatíveis com os métodos utilizados pela Antifa, desde a violência física, depredação de patrimônio público e privado, aos trajes normalmente característicos do movimento, os quais apontam a intenção de práticas criminosas.

“As cenas de violência, depredação e desrespeito que tomaram as manchetes e telas nestes dias não podem ser entendidas como manifestações em defesa da Democracia, nem confundidas com outras legítimas, enquanto expressões de pensamento e dissenso, essenciais para o debate que a ela dá vida”, afirmou Mourão.

“Desde quando, vigendo normalmente, ela precisa ser defendida por faces mascaradas, roupas negras, palavras de ordem, barras de ferro e armas brancas?”, conclui o general.