28.5 C
Brasília
Sexta-feira, 12 Agosto, 2022

Mendes ironiza: ‘Tinha vontade de acreditar na fraude ao ver nomes como Bia Kicis’

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), falou diretamente de Portugal sobre o atual cenário político brasileiro, onde comentou de forma irônica as críticas do presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (PL), ao sistema eleitoral do país, precisamente ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“Todos os Bolsonaros, e eles são vários, foram eleitos pelas urnas eletrônicas. Bolsonaro também elegeu, exatamente porque liderou a campanha presidencial, 55 parlamentares, alguns de que nós nunca ouvimos falar”, afirmou o ministro.

Na sequência, Gilmar Mendes se referiu de forma debochada a dois deputados bolsonaristas, os chamando de “coisas” pelas quais, na sua opinião, poderiam ter sido eleitas por fraude.

Na prática, a intenção do ministro foi apontar que por serem supostamente tão inexpressivos, a eleição dos deputados bolsonaristas poderia ter sido alvo de dúvidas, o que não foi, e que isto indicaria a confiabilidade das urnas eletrônicas.

“Até numa conversa com ele, brinquei, dizendo que tinha vontade de acreditar na fraude das urnas, porque, quando via nomes como Hélio Negão (PL-RJ), Bia Kicis (PL-RJ), ou coisas assim, pensava, poxa. Mas sei que eles foram eleitos, assim como tivemos, em outros momentos, como na vitória de Collor, a eleição de muita gente desconhecida”, declarou Gilmar.

Sobre os rumores de que o governo estaria disposto a dar um “golpe” nas eleições, Gilmar Mendes disse não acreditar em tal especulação. “Não acredito que haja clima para isso no Brasil, uma democracia grande, uma das maiores do mundo, consolidada”, afirmou ao Correio Braziliense.

“Pode ter técnica nesse modo de ver o mundo, de manter os agrupamentos unidos, que querem acreditar em teorias conspiratórias. Mas nós sabemos que todos eles, as pessoas que estão aí, vieram desse processo pelas urnas eletrônicas”, concluiu o ministro.

DESTAQUE
Veja também:
close