Médica que depôs na CPI da Covid processa Omar Aziz por danos morais, após vazamento

A secretária de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde, Mayra Pinheiro, concedeu entrevista ao programa Os Pingos nos Is, da rádio Jovem Pan, exibido nesta segunda-feira, 26. Durante a conversa, a médica falou sobre a violação de privacidade a que foi submetida na semana passada, quando teve seus dados pessoais vazados por setores da imprensa.

Segundo Mayra, o Supremo Tribunal Federal (STF) havia determinado que suas informações pessoais deveriam ser preservadas, de maneira a não torná-las públicas. Porém, a ordem judicial não foi cumprida por setores da imprensa nem por parlamentares.

“Vídeos foram vazados pela Rede Globo, portal G1 e The Intercept”, disse. “Isso é crime, é preciso que a população entenda a gravidade dessa situação.” A secretária explica que a medida cautelar permitia a utilização dos dados sigilosos apenas durante os trabalhos da CPI da Covid.

“É uma forma de evitar a criação de narrativas falsas contra mim ou qualquer outro depoente”, afirmou. “Então, fizemos uma reclamação constitucional no STF pelo descumprimento dessa ordem judicial. Queremos a apuração do delito, uma vez que o senador Omar Aziz é responsável pela guarda dos documentos.”

Mayra diz ter acionado a Justiça nesta segunda-feira, 26, com o objetivo de pedir indenização por danos morais contra o presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz. “Não bastasse o desrespeito, com a quebra de sigilo e a divulgação dos dados, o senador continua dando entrevistas para veículos de mídia, criando narrativas mentirosas e dizendo que sou ‘desqualificada tecnicamente’, bem como do ponto de vista moral.”

De acordo com a secretária, Omar Aziz pode ser convocado pela Polícia Federal para prestar esclarecimentos sobre o vazamento de seus dados pessoais.

“Ele tem suspeição sobre os próprios atos — responde por inúmeros processos, com vários artigos tipificados como crime”, observou. “Eu não respondo a nenhum processo. Então, espero que o senador possa responder por seus crimes e reparar o dano moral que vem me causando.” Com: Revista Oeste.

Deixe o seu comentário: