Malafaia denuncia jantar de ministro de Bolsonaro com Renan Calheiros: “Como é isso?”

O pastor e empresário Silas Malafaia, ferrenho apoiador do presidente Jair Bolsonaro, acabou de cumprir a promessa de apontar três ministros do governo que estariam deixando de agir em favor da indicação do ex-ministro André Mendonça, para o Supremo Tribunal Federa (STF), chegando a citar um jantar que teria ocorrido com o senador Renan Calheiros, relator da CPI da Pandemia.

A denúncia de Malafaia sobre o suposto jantar foi com base em uma matéria do jornal Folha de S. Paulo. “Como pode, gente? A Folha de São Paulo dizendo que Ciro Nogueira, ministro da Casa Civil, um dos mais importantes cargos, vai jantar com Renan Calheiros, o cara que quer destruir Bolsonaro por interesses políticos”, afirmou o líder evangélico.

Malafaia também acusou o senador de proteger “os corruptos que receberam bilhões para combater a pandemia”, o qual estaria “fazendo uma CPI da safadeza… como é que é isso?”, indagou, mostrando indignação pelo encontro de Calheiros com um dos principais ministros do governo.

O pastor então cobrou do ministro Ciro Nogueira uma satisfação pública em relação ao jantar com Calheiros, a fim de que possa negar ou confirmar o encontro. “O senhor [Ciro Nogueira] é obrigado a vir a público dar uma satisfação”, disparou Malafaia.

Outro ministro apontado por Malafaia foi Fábio Farias, das Comunicações. Segundo o pastor, no entanto, Farias já teria desmentido a informação da Folha, motivo pelo qual o jornal publicou uma errata confirmando o erro. A outra autoridade citada pelo pastor é Flávia Arruda, da Secretaria do Governo. Os três foram citados na matéria do jornal.

“[Faria] é obrigado emitir uma nota clara de apoio a André Mendonça. Os ministros palacianos são políticos, ele [Fábio Faria], o ministro Ciro Nogueira, e a ministra Flávia Arruda [Secretaria de Governo] são políticos. Eles são obrigados a emitirem nota e trabalharem pela indicação do presidente”, afirmou o pastor. Assista;