Fiuza: ‘Governadores ignoram ônibus lotados e preferem fingir que salvam vidas’

Um dos jornalistas mais influentes do Brasil, Guilherme Fiuza voltou a criticar o toque de recolher nos estados e municípios, afirmando que tais medidas são, segundo ele, frutos de “boçalidade” e de uma encenação que visaria a obtenção de popularidade política entre os governantes.

“TOQUE DE RECOLHER: medida ilegal, ditatorial e sem NENHUM estudo no mundo comprovando eficácia sanitária (ver Ioannidis, Stanford). Governadores e prefeitos ignoram ônibus lotados e preferem dar show de boçalidade fingindo salvar vidas. Estão destroçando vidas. Vão pagar por isso”, afirmou o jornalista em sua rede social.

Em outra publicação, Fiuza chamou de “teatro ditatorial” o que toque de recolher no Rio de Janeiro, por exemplo, citando com ironia o horário estipulado pelo prefeito Eduardo Paes.

“Está na rua no Rio de Janeiro? Então corra para casa que nem um rato p/ escapar dos pelotões armados q estão executando o TOQUE DE RECOLHER de Eduardo Paes contra o vírus noturno na ex-capital da liberdade – hoje uma cidade acovardada por um teatro ditatorial q não salva ninguém”, afirmou.