11.5 C
Brasília
Quinta-feira, 30 Junho, 2022

“Dia triste para a história do Senado”, diz senador sobre desrespeito a Yamaguchi

Com o fim do depoimento da médica Nise Yamaguchi na CPI da Pandemia, algumas personalidades vieram a público lamentar o fato da mundialmente renomada profissional ter sido desrespeitada diversas vezes ao ser interrogada, sendo acusada de mentir, não ter conhecimento apropriado e de pertencer a um suposto “gabinete paralelo”.

“É lamentável ver a CPI se transformando num ambiente para a destilação do ódio. Falam tanto de ciência, mas quando temos alguém com currículo e conhecimento técnico, a oposição tapa os ouvidos e atua de forma covarde ameaçando, constrangendo e desqualificando a testemunha”, afirmou o senador Marcos Rogério durante entrevista coletiva.

Ainda durante o depoimento da médica, quem também se manifestou foi a deputada estadual Janaína Paschoal, que é professora de Direito na Universidade de São Paulo (USP). Ela lembrou aos senadores, por exemplo, que não cabe a quem investiga fazer acusações, lamentando o desrespeito à Dra. Yamaguchi.

“Peço aos Srs Senadores que reflitam sobre a forma com que estão questionando a Dra. Nise Yamaguchi. A divergência pode ser exposta com respeito e, a bem da verdade, quem investiga não deve acusar! Espetáculo triste!”, afirmou Janaína.

Ainda para Marcos Rogério, o depoimento de hoje ficará registrado como um dia vergonhoso para o Senado Federal. “É vergonhoso o que vimos hoje na CPI da Pandemia com o depoimento de Nise Yamaguchi. Ela não era investigada. Não é acusada de corrupção. Pelo contrário, dedicou mais de 40 anos de sua vida para salvar vidas! Foi um dia triste para a história do Senado”, afirmou o senador. Assista:

DESTAQUE
- Publicidade -
Veja também: