Bolsonaro na ONU: “Estávamos à beira do socialismo; apresento agora um novo Brasil”

O presidente Jair Bolsonaro discursou nesta terça-feira (21) na abertura da 76ª Assembleia Geral da ONU, realizada este ano em Nova York, Estados Unidos, ocasião em que defendeu o Brasil como um país propício para grandes investimentos, assim como fez críticas ao socialismo e a medidas autoritárias tomadas durante a pandemia.

“Venho aqui mostrar um Brasil diferente daquele publicado em jornais”, afirmou o presidente, argumentando que o país estava enfrentando dificuldades nos governos anteriores. “Estávamos à beira do socialismo; apresento agora um novo Brasil”, destacou.

Como de costume, Bolsonaro também defendeu alguns valores cristãos, frisando que apesar de defender às liberdades individuais e o respeito às diferenças, acredita que a família tradicional é a célula básica da sociedade.

“Temos a família tradicional como fundamento da civilização”, afirmou Bolsonaro, também defendendo a liberdade de culto e de expressão. “O Brasil tem um presidente que acredita em Deus; valoriza a Constituição e valoriza a família”, pontuou.

Em outro momento, Bolsonaro disse que o Brasil se posicionou a favor do tratamento precoce contra o coronavírus, mas que também apoia a vacinação como forma de combate à pandemia. Ele ressaltou, contudo, que é contra o “passaporte sanitário” e a qualquer tipo de obrigatoriedade em relação ao tema.

“O nosso governo tem se posicionado contrário ao passaporte sanitário”, afirmou o presidente, alegando também não entender porque alguns países e grande parte da mídia se voltaram contra o tratamento inicial. “A história e a ciência saberão responsabilizar a todos”. Assista o discurso completo, abaixo: