10.5 C
Brasília
Quarta-feira, 29 Junho, 2022

Bolsonaro faz alerta à Nação: “Crise dos combustíveis deve agravar; no mundo todo”

Preocupado coma repercussão das notícias negativas sobre o preço dos combustíveis, o presidente Jair Bolsonaro tratou de fazer um alerta à Nação a esse respeito, buscando antecipar o fato de que a crise “deve se agravar”, não apenas no Brasil, mas no mundo inteiro.

“A União Europeia decidiu não importar mais petróleo da Rússia. Os Estados Unidos tentaram há pouco tempo importar petróleo da Venezuela, do Maduro. O americano falou que não vai aumentar a sua produção de petróleo”, disse o presidente, iniciando seu raciocínio.

“O Brasil não tem como aumentar a [produção de petróleo] dele. Em consequência, a crise dos combustíveis deve se agravar, tá? No mundo todo. Se fosse só aqui podiam me culpar, mas é no mundo todo”, completou Bolsonaro.

Bolsonaro explicou, contudo, que vem procurando flexibilizar o modelo econômico da Petrobrás, a fim de possibilitar uma política de preços que favoreça mais a população. O valor dos combustíveis é um dos pontos críticos no contexto econômico atual do país.

“O [Michel] Temer fez a tal da PPI. O preço com paridade internacional. Mudamos o ministro das Minas e Energia, e estamos tentando aí abrir a Petrobras, tá?”, destacou o presidente.

Bolsonaro também culpou os governos passados no tocante ao investimento em energia, sugerindo que, se o país tivesse aplicado corretamente os recursos na expansão da Petrobrás, não estaria enfrentando, agora, uma crise com essa dimensão.

“E outra coisa: problema que nós temos é que nós importamos diesel e gasolina, porque três refinarias começaram a ser feitas pelo PT, se consumiu quase R$ 100 bilhões e não se fez nada”, disse ele.

“A Dilma comprou lá fora a refinaria de Pasadena, que era obviamente para produzir gasolina e diesel, e era sucata. Então, nós importamos diesel de alguns países do mundo, o que encarece o preço aqui dentro”, concluiu.

DESTAQUE
- Publicidade -
Veja também: