28.5 C
Brasília
Sexta-feira, 12 Agosto, 2022

“Atiro para matar, mas ninguém me leva preso”, teria dito Bolsonaro, segundo mídia

O presidente Jair Bolsonaro teria dito a um interlocutor, segundo informações do jornalista Guilherme Amado, que estaria disposto a reagir a tiros caso seja alvo de uma ordem de prisão. A situação hipotética é levantada pela oposição em um cenário de possível derrota eleitoral este ano.

“Eu atiro para matar, mas ninguém me leva preso. Prefiro morrer”, teria dito Bolsonaro. O jornal Folha de S. Paulo também noticiou algo no mesmo sentido, dizendo que “o presidente tem demonstrado nervosismo e repetido frases semelhantes à que disse em um discurso no dia 7 de setembro do ano passado, em um ato na avenida Paulista: ‘Nunca serei preso’”.

É fato notório que a oposição tem articulado várias iniciativas jurídicas contra Bolsonaro, acusando-o de ter praticado supostos crimes, por exemplo, durante a pandemia do novo coronavírus. A avaliação é de que numa eventual derrota nas urnas, essas ações ganhem força, tendo em vista que o presidente não estará mais sob nenhum mandato.

Contudo, o governo e aliados não contam com a derrota eleitoral, tendo em vista o expressivo apoio da população demonstrado nas ruas, espontaneamente, sendo este o principal termômetro usado por Bolsonaro para defender a sua potencial reeleição, bem como fazer ataques ao ex-presidente Lula.

Além disso, também já existem algumas iniciativas por parte da base aliada do governo, no sentido de blindar Bolsonaro juridicamente, considerando a possibilidade de derrota eleitoral. São ações que, em tese, indultariam o presidente contra as acusações de crimes durante o seu mandato.

DESTAQUE
Veja também:
close