Universidade Pública exibe tela “Bolsonaro é genocida” e é denunciada na PF

A Policia Federal está prestes a iniciar a investigação dos responsáveis pela instalação de um painel de LED que ocorreu dentro do Campus da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), localizada na Praia Vermelha.

O painel continha críticas ao presidente Jair Bolsonaro e à sua administração durante a pandemia, e a denuncia contra o mesmo foi feita pelo deputado estadual Anderson Moraes, do PSL.

Segunda a Veja, o equipamento com cerca de 3 metros de altura e 6 metros de largura buscava difamar a imagem do mandatário através da exibição de frases como “Bolsonaro é genocida, vacina no braço, comida no prato” e “#ForaBolsonaro”.

O painel em questão se trata de mais uma ferramenta que o Sindicato dos Trabalhadores em Educação da UFRJ (Sintufrj) promoveu na última sexta-feira (16) para divulgar suas criticas ao governo federal.

Porém, o membro da Assembleia Legislativa do Rio encara a iniciativa como um total desrespeito, possível financiamento do material por desvio de recursos públicos e uma série de atos de calúnia e difamação contra o presidente da República, infringindo a Lei 7170/83 de segurança nacional, ordem e politica social.

“Estou indo para a Polícia Federal denunciar esse ato criminoso que está acontecendo dentro da universidade. Não podemos aceitar, nós lutamos por ter uma escola sem partido porque o que as pessoas aqui dentro precisam aprender com certeza não é o que a esquerda tem a ensinar”, disse o deputado em sua rede social.

A URFJ, por sua vez, negou que tivesse autorizado a instalação do painel. “Consideramos inadequada a instalação do painel no referido campus, principalmente durante a pandemia. Reiteramos que, durante o pior momento da maior crise sanitária deste século, apenas as atividades essenciais devem ocorrer de forma presencial”, diz a universidade.