“Somos um dos últimos países com escolas fechadas”, diz ministro da Educação

O ministro da Educação, Dr. Milton Ribeiro, disse nesta quinta-feira (08) que se sentiu envergonhado durante uma reunião com ministros da mesma pasta de outros países, precisamente o grupo de nações conhecido como G20. Isso porque, segundo ele, o Brasil é um dos poucos países que ainda mantém suas escolas fechadas em decorrência da pandemia.

“Voltei desse encontro com ministros da educação. Passei vergonha na reunião do G20, praticamente o Brasil era o único país com 450 dias de escolas fechadas. África do Sul voltou no ano passado às aulas presenciais”, disse ele.

Ribeiro destacou os prejuízos não só acadêmicos, mas também sociais por causa do fechamento das escolas, como o impacto gerado sobre o emocional de crianças e adolescentes que deixaram de ter contato com os colegas de turma, algo considerado importante, também, para o aprendizado.

“Se eu pudesse escolher, mandaria voltar no ano passado. Mas agora chegou ao limite. Somos um dos últimos países com escolas fechadas, está na hora. A perda é acadêmica, a perda é emocional, a perda é considerada até nutricional pra algumas crianças. Falta uma decisão política dos entes federados”, destacou o ministro.

Segundo o Diário de Pernambuco, no entanto, o ministro Marcelo Queiroga, da Saúde, já está atuando em conjunto com Ribeiro para estabelecer um protocolo de retorno ao ensino presencial.

“Temos apoio da Unicef, da Unesco, da OMS e da OCDE [para isso]. Há absoluto consenso de que vacinação não é pré-requisito para o retorno às aulas. Vamos, portanto, criar um protocolo conjunto que será estabelecido por portaria interministerial, estabelecendo as regras para o retorno seguro”, disse ele.

Deixe o seu comentário: