Mais

    Sem mandato, Silveira volta a ser preso por ordem de Moraes e perde porte de armas

    O agora ex-deputado federal Daniel Silveira voltou a ser preso na manhã desta quinta-feira, no Rio de Janeiro, por determinação do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo tendo sido beneficiado com um indulto presidencial emitido pelo ex-presidente Jair Bolsonaro, o magistrado se baseou em descumprimento de medidas cautelares para determinar a sua prisão.

    Em sua decisão, Moraes afirmou que Silveira tratou com “desrespeito e deboche” as medidas cautelares impostas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), chegando a danificar uma tornozeleira eletrônica.

    Silveira foi preso pela Polícia Federal, e em sua residência, segundo o G1, foram encontrados cerca de R$ 270 mil em espécie. Além da prisão, Moraes também determinou a suspensão imediata de passaporte e do porte de armas do ex-deputado, que também é policial militar.

    Com a decisão, fica suspenso, também, pelo Exército Brasileiro, certificados em nome de Silveira de registro de autorização para atividades de colecionamento de armas de fogo, tiro desportivo e caça.

    Silveira disputou a eleição para o Senado, pelo Rio de Janeiro, obtendo 1,5 milhão de votos, mas não conseguiu se eleger. Agora sem mandato como deputado federal, ele não possui mais foro privilegiado.

    Leia também:

    Posts da semana

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui