Restaurantes demitem quase 3 mil pessoas no Distrito Federal por falta de movimento

Os efeitos do isolamento social devido ao surto do novo coronavírus já podem ser observados no setor de serviços do país. Além dos autônomos, prestadores de serviço com contratos flexíveis de trabalho sãos os maiores afetados pela crise.

Apenas no Distrito Federal, 3 mil pessoas já foram demitidas por restaurantes e bares, segundo informações do Sindicato Patronal de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar), reportadas pelo jornalista Vicente Nunes, do Correio Braziliense.

“O governador Ibaneis Rocha decretou o fechamento de instituições públicas e privadas, shoppings, bares, restaurantes e outros serviços até o dia 5 de abril, na tentativa de conter a pandemia”, informou Vicente, ressaltando uma medida que foi condenada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, em seu último pronunciamento na TV aberta.

“Precisamos de alento, perceber que o governo local está preocupado. Até o momento tivemos decisões a nível federal relativas ao fundo de Garantia (FGTS)”, observou Jael Antônio da Silva, presidente da Sindhobar. Ele destacou que o número de demissões pode chegar a 4 mil nesta quarta-feira, 25.

“Já nos antecipamos na nossa convenção coletiva de trabalho, assinada em conjunto com o Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro, Restaurantes, Bares e Similares do Distrito Federal. Previmos a antecipação das férias, possibilidade de colocar em férias sem necessidade aviso prévio, parcelamento”, completou.