28.5 C
Brasília
Sexta-feira, 12 Agosto, 2022

Desembargador federal se revolta e chama inquérito das fake news de “pré-medieval”

Viralizou nas redes sociais um vídeo em que o desembargador federal William Douglas, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, aparece revoltado durante um julgamento. Na ocasião, o juiz criticou duramente o polêmico “inquérito das fake news”, conduzido pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

William explicou que uma grande conquista do direito foi a evolução quanto ao sistema penal, que passou a ter diferentes figuras no processo acusatório, incluindo o da defesa, além da vítima, do acusado e do acusador.

Contudo, ele lembrou que no caso do deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), o ministro Moraes teria assumido o papel de vítima e acusador. Para o desembargador, considerado no meio jurídico um dos mais respeitados do país devido a uma carreira de sucesso e grande produtividade na área, os juristas que não condenaram essa decisão foram “covardes”.

“Daniel Silveira foi julgado, teve o seu processo relatado pela vítima. E uma multidão de covardes e omissos não falaram nada”, disparou William Douglas, que prosseguiu, elogiando o presidente da República devido ao perdão constitucional oferecido ao deputado.

“Quando o presidente da República, que pode se dizer o que quiser dele, mas é homem, é macho, tem coragem, mete a caneta, e corrige a injustiça através da graça, o que que eu faço? ‘Está certo’”, disse o desembargador.

O trecho onde o juiz aparece fazendo suas críticas foi compartilhado pela deputada federal Carla Zambelli, com elogios ao magistrado. “Parabéns ao Desembargador Federal William Douglas do TRF-2, pela coragem de criticar ações recentes de ministros do STF, dentre elas, a que o próprio ex-ministro Marco Aurélio apelidou de ‘Inquérito do Fim do Mundo'”, comentou a parlamentar. Assista:

DESTAQUE
Veja também:
close